.

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Ginga e reflexão na semana da Abolição

Ginga e reflexão na semana da Abolição
Jornalista Mônica Braga

Macaé ganhou uma noite de reflexão nesta semana, o 13 de Maio, onde cerca de 80 pessoas compareceram ao evento que teve como referência o resgate e a cultura Afro Brasileira, como também a reflexão da data no dia de hoje, através da ginga da Capoeira, numa aula especial do Mestre Kiko.
Esse evento com o tema Abolição fez parte da proposta da Coordenadoria Geral de Políticas Sociais e Igualdade da Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade, representada pelo Mestre Alexandre Gabiru, que enfatizou o trabalho do Grupo Macaé Capoeira (GMAC) junto à população, assim como a importância da representatividade negra nos dias atuais e no país que vivemos.
 - Não estamos aqui para enfatizar a comemoração, mas sim a reflexão. O que o negro representa? O que mudou? Ou ainda estamos escravos?, são perguntas sem respostas que nos levam a refletir sobre o que realmente representou a Abolição. - enfatizou Gabiru, acrescentando que a luta é diária, ainda é muito óbvia a violência contra o negro, a mulher negra. O racismo está presente em todas as classes sociais.
Quanto a importância da capoeira em todo esse contexto, destacam-se a disciplina e respeito, assim como o resgate histórico da cultura africana. "O trabalho da GMAC reflete na vida de cada um que passou por aqui. Sempre priorizo a disciplina e faço referência a nossa história, porque tudo que se perdeu, somos culpados. È preciso resgatar sempre!" - relata Mestra Kiko, que ministra suas aulas no Parque Aeroporto, e atende alunos não só do bairro como também de toda Macaé.
Tipicamente brasileira, a capoeira desenvolve em sua expressão cultural, uma mistura de arte marcial, esporte, cultura popular, dança e música. Sua ginga, além de interferir positivamente na vida de quem a pratica, cativa e encanta a todos. Assim é o caso das francesas Melissa e Alex,  que estão de férias em Macaé, acompanhando a Brenda Fernandes _ filha do Mestre Gabiru -  que hoje trabalha fora do Brasil.
Para Brenda, a capoeira está no sangue, é cultural, já nasceu admirando a ginga do pai. "Todo o trabalho da capoeira reflete nitidamente no social, tenho muito orgulho da trajetória do meu pai, que se esforça junto com os outros mestres para que o trabalho aconteça. Minha vontade é levá-lo comigo para fora do país, e poder expandir o seu valor", disse.
As francesas Melissa e Alex, não esconderam o encanto através do sorriso, "eu não conhecia a capoeira pessoalmente, muito elegante e exótico", relatou Alex. Já Melissa teve mais contato e acrescenta que a diferença de se praticar a capoeira no Brasil e fora, é que aqui há um objetivo de integração social, é o que faz toda diferença. "É muito emocionante ver tudo isso estando na terra da capoeira, não tenho palavras".
 Mariana Souza, 13 anos, revela que desde os três anos já tem a ginga na mente e no corpo, filha do Mestre Kiko, nasceu já com a capoeira. "Mas confesso que, mesmo com a influência do meu pai, meu primeiro momento com a capoeira foi sozinha, observando e, por fim, estou inserida nesse contexto e é apaixonante participar", explicou Mariana.
Os pais de alunos também relataram a diferença que a capoeira faz na vida dos filhos. "Sou pai do Murilo, 9 anos, e há sete meses está na capoeira. Tempo suficiente para perceber o quanto a disciplina acentuou em todos os segmentos, fico grato e parabenizo o trabalho e a iniciativa desses mestres, vida longa ao projeto", relatou Ronaldo Fernandes.
Grupo Macaé Capoeira - GMAC
O projeto GMAC está em pleno funcionamento há 20 anos e, atualmente vem realizando o trabalho no Parque Aeroporto, onde são oferecidas aulas gratuitas para crianças, adolescentes e adultos de qualquer faixa-etária. Além de alunos do Aeroporto, o projeto também atende vários outros  bairros da cidade. É de cunho social e tem como um dos objetivos difundir e incentivar a prática da capoeiratirando da vulnerabilidade vários jovens. Embora a proposta seja aberta a todos os públicos, os mestres esclarecem que só ganha corda quem frequenta assiduamente a Unidade Escolar e adquire boas notas, passando de ano letivo.
GMAC - Mestres Anu, Kiko, Gabiru e Vando.

"Capoeira ela é completa, pois é preciso cantar, tocar, dançar, lutar, estudar o contexto histórico, ensinar e sorrir com humildade"
Ru Aisó

GMAC



Mestre Kiko

Mestre Gabiru com sua filha Brenda e as francesas Melissa e Alex

Mestre Gabiru e a Jornalista Mônica Braga

quarta-feira, 17 de abril de 2019

A Origem da Podridão

Cuidado com a maldade disfarçada de bom senso...
Cuidado com a maldade disfarçada de carinho
Cuidado com a maldade disfarçada de bons modos
Cuidado com a língua da maldade, a inveja da maldade, o olhar da maldade... aquele olhar que sorri atirando... Cuidado... Cuidado com a maldade...
A maldade se veste de Boa moça, Boa gente, a maldade tem frustrações, a maldade é feito verme invisível... apodrece a carne ainda viva.
Cuidado... já estou vacinada, sou da poesia e a poesia mata também... então, tome cuidado, dona maldade!
Pois não tem preço você enxergar a podridão do ser humano antes da decomposição da carne!

Mônica Braga


Governo entrega mais 128 unidades habitacionais

Jornalista Mônica Braga



A Prefeitura Municipal de Macaé, através da Secretaria Adjunta de Habitação, realizou nesta sexta (5), cerimonial de entrega das chaves de 128 unidades habitacionais no Conjunto Habitacional Carlos Emir Mussi para os beneficiários oriundos de construções localizadas em áreas de risco e impróprias do Complexo da Ajuda.
O evento contou com a presença do prefeito de Macaé, Dr Aluizio Júnior, secretários municipais, vereadores e representantes da Caixa Econômica, empresas de gás, luz e telefonia, além das famílias contempladas.

Para o prefeito Aluizio, esse momento da entrega das chaves materializa todo o processo.

"O governo precisa completar sua tarefa. Não adianta a família sair de um lugar de risco e não ter onde ficar. Momento como este é a conclusão de um trabalho pois, em todo esse processo, o que mais importa é a população que vivencia tudo isso", pontuou o prefeito, acrescentando que, em breve, funcionará no local uma Unidade Básica de Saúde.

O vereador Márcio Bittencourt também frisou a ideia da Unidade Básica de Saúde e agradeceu estar no processo. "Faço parte, com orgulho, da comissão da Regularização Fundiária de Macaé, e é muito gratificante estar na conclusão de todo esse trabalho. Parabéns aos envolvidos e vamos trabalhar para que cada vez mais famílias tenham acesso à moradia popular", disse o vereador.

A arquiteta Adriana Marcondes, a Assistente Social Eliene Silva e a Engenheira Alessandra Schueler, profissionais que atuam na Habitação e estão diretamente ligados a esse processo, afirmam que até esta entrega das chaves, no decorrer das ações, os beneficiários tiveram acompanhamentos por meio de oficinas para o melhor convívio em grupo, visitas guiadas, informações sobre a planta e pavimentos sobre a nova moradia e conhecimentos sobre adaptações para necessidades especiais.

"Cumprimos cronograma com todas essas ações, dando o suporte e atenção coletiva e individualizada. Ainda haverá acompanhamento para as famílias nessa nova fase de mudanças", explicou Adriana.

Sebastiana Gomes, uma das beneficiárias, externou toda dificuldade do que é viver na pele essa mudança para, depois de tantos danos, estar em sua casa própria e segura. "Confesso que toda essa mudança me assustou muito, sofri, passei pela pousada, aliás com toda estrutura para atender a população que precisou. Mas ter que sair do "nosso canto" é doloroso demais. Agradeço por esse momento e, hoje, sei que mudar foi preciso, para minha saúde e mais qualidade de vida", relatou Sebastiana.

A Caixa Econômica Federal foi representada pelo superintendente regional Valter Gomes, que garantiu assistência aos beneficiários de acordo com a demanda e dúvida, afirmando que o verdadeiro "DNA" da Caixa é, exatamente, o social, o fazer a diferença.

"É um sonho que se sonha juntos desde a assinatura do contrato até a entrega das chaves. Parabéns a Habitação e todos os envolvidos. Concluímos um propósito que se transformará em mais qualidade de vida", disse Valter.

Também na cerimônia, estavam os deputados estadual e federal Welbert Rezende e Felício Laterça, que relataram a importância do acontecimento, tanto no momento como também na história da homenagem a um ex prefeito, que também realizou feitos quanto a moradias populares, o Dr. Carlos Emir Mussi, nome dado ao Conjunto Habitacional.

"Parabéns a todos envolvidos e a Secretária Tânia Jardim por não descansar enquanto não alcançou o objetivo. Desde novembro estou, orgulhosamente, também, nessa pauta. E quanto aos beneficiários, se mudar foi preciso, é para algo melhor. Cuidem do novo lar, da cidade. A mudança vem também de dentro para fora, o lar é algo muito especial", falou Laterça.

A aposentada Geni dos Santos, demonstrou sua ansiedade para viver na nova residência. "Mais segurança e conforto, lugar mais limpo, isso sim é qualidade de vida. Não vejo a hora de entrar em minha nova casa, não vejo a hora de estar em um lugar limpo e saudável, Obrigada", relatou Geni.

Para Tânia Jardim, secretaria de Habitação, acompanhada do secretário de Infraestrutura, Célio Chapeta, "cada fase foi bastante significativa, mudar requer muitos "poréns", assim as famílias tiveram todo acompanhamento e assistência."

"É com muita satisfação que faço parte dessa entrega de chaves. Todas as etapas que a Habitação proporcionou ao beneficiário para planejar a sua ida para o imóvel foram válidas, missão cumprida. Todos têm direito a uma moradia digna. Por isso que não medimos esforços para alcançar o objetivo. Obrigada ao prefeito, a equipe da Habitação, ao Deputado Laterça e todos envolvidos. Sem o apoio de vocês não seria possível", finalizou Tânia Jardim.


Famílias saem de área de risco e vão para conjunto habitacional

Jornalista Mônica Braga


Continua a mudança das famílias que viviam em área imprópria e de risco do Complexo da Ajuda para o Conjunto Habitacional Carlos Emir Mussi. As ações de demolição estão em andamento e a equipe da Secretaria Municipal Adjunta de Habitação acompanha os moradores para o local de destino.
Essas ações tiveram início na semana passada e fazem parte do cronograma de entrega das 128 unidades habitacionais. Além da Habitação, o trabalho conta com a força-tarefa da equipe de Pronta Ação formada pela secretarias de Ordem Pública, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Infraestrutura, Ambiente e Sustentabilidade, Procuradoria Geral, além das Polícias Militar e Civil.

"Estamos acompanhando todo o processo bem de perto, a equipe da Habitação realiza o trabalho de campo de forma contínua e diária de acordo com a demanda, dando o suporte necessário e adequado tanto para o coletivo, quanto respeitando as individualidades", pontua a secretária de Habitação, Tânia Jardim, acrescentando que a atividade continuará durante essa semana, até quarta-feira (17) e no decorrer da próxima semana.

De acordo com a secretaria, não há demolição sem autorização do beneficiário e se este não estiver em sua nova residência. As casas demolidas são das famílias já residentes no Conjunto Habitacional Carlos Emir Mussi, Bosque Azul.



terça-feira, 18 de dezembro de 2018

"Nos Braços da Batucada"


O povo caiu "Nos Braços da Batucada"

"Não deixe o samba morrer
Não deixe o samba acabar"... (Edson Conceição e Aloísio Silva)

É desse jeito que esses moços pensam... samba, imortal. Samba, veia, suor e cultura viva, pulsa, grita.

"Nos Braços da Batucada" nasceu dessa ideia. Samba sempre Samba. Projeto que reúne músicos locais e proporciona momentos com as melhores canções, onde o público se identifica e a melodia sai feito gesto único de amor. E tudo é samba, bem brasileiro, bem pé no chão.

O chão é rua. A avenida é a cidade. Esses meninos-músicos cantam e encantam por onde passam. Cada batuque, cada som e voz entram em um contexto que de belo torna-se cada vez mais viva a cultura do morro, do carnaval, das ruas, bares, botecos, palcos, avenidas... Diga-se de passagem que o nosso clássico já exaltava o samba, Tom e Chico Buarque subiram o morro levando piano, "Já mandei subir o piano pra Mangueira, A minha música não é de levantar Poeira, Mas pode entrar no barracão"... O barracão, caros poetas da MPB, é o chão que esses meninos pisam, em cada encontro, eles lançam o primeiro passo nos corações dos amantes da boa música.

Salve a viola do Paulinho, salve. Salve Beth, Arlindo, Martinho... salve. Grande Sargento, Zeca, Jóia Rara Lara, Nogueiras e Cartola, Salve. Sua bênção Adoniran, Noel, Pixinguinha... amém, Bezerra. Salve Leandro Magalhães, Fábio Horácio, Leônidas Júnior, Denilson Pará... Salve! Salve Jo Wilme, salve Fabrício Tito e Ed Nascimento. Salve "Nos Braços da Batucada".

Para Leandro Magalhães, músico e membro do projeto, uma roda de samba é feito abraço de dentro pra fora e vice versa.

"Vivemos carentes da boa música, uma roda de samba agrega, inclui... abraça", registrou Leandro.

O projeto já teve várias edições, dentro de Macaé e cidades vizinhas, tendo sempre o mesmo ritmo atraindo um público cada vez maior.

- Eles resgatam o melhor, inundam nossos corações de coisas boas. Precisamos de mais encontros com o samba, esses meninos são bons demais. Um viva para "Nos Braços da Batucada", disse Cris Cardozo, professora.

Para Ricardo Monteiro, advogado, o samba de verdade é difícil "brotar" numa época de tanta referência musical que cresceu desordenadamente, deixando a verdadeira raiz de lado. "Tão difícil encontrar uma roda realmente de samba, que quando encontramos perto da gente, nos entregamos de verdade. Parabéns a todos os envolvidos. Vida longa para esse músicos e suas ideias", concluiu Ricardo.

"Quando eu não puder pisar mais na Avenida"...
Que  o samba se renove, que siga subindo morros, entrando em ruas, becos, bares, botecos, palcos. Que siga em canções, passos, avenidas e poemas. Que se renove em voz e composições. Que se regue a raiz, floresça a letra.

"Eu vou ficar no meio do povo espiando"...
Salve o samba, salve o povo! Salve o gingado, a alegria e o ritmo. Salve "Nos Braços da Batucada". Abençoados sejam os artistas e sua ideia. Abençoados sejam...! Que o Samba... seja!

Para uma boa Roda de Samba, indico "Nos Braços da Batucada", contato com Leandro Magalhães, telefone (22) 99952-1204

Jornalista Mônica Braga

Fotos: Divulgação


Leandro Magalhães

Fábio Horácio


Leônidas Junior

Jô Wilme


Denilson Pará

Ed Nascimento

Fabrício Tito

Samba no Bairro Aroeira

Samba no Bairro Aroeira





quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Creche Nova Geração, espaço do Amor



Trabalho, dedicação, perseverança, coragem e fé são palavras que traduzem a realização de um sonho, sonho este que foi adiado por obstáculos oferecidos pela vida. Por isso, assim, depois de muito desafio, feito emoção de primeiro sopro de filho, nasceu a Creche Nova Geração.

A diretora e responsável por essa realização, Professora Márcia Gonçalves, conta que tudo começou com a vontade de montar um espaço que atendesse, de uma forma geral, às mães que trabalhavam e tinham dúvidas de como deixar seus filhos com segurança, num espaço adequado e acessível que refletisse o carinho e atenção recebidos pela criança.

- Um sonho antigo, mas quando o sonho não é o que nos sustenta quanto à sobrevivência, o guardamos na gaveta, mesmo que nos custem lágrimas. Durante quase dez anos, trabalhei na área do petróleo, passei também por muita dificuldade para deixar meus filhos, com isso meu sonho de montar o espaço só foi crescendo - relatou a diretora.

Assim,  Márcia Gonçalves, enfrentou o desemprego em 2017, foi quando o sonho e a inspiração tomaram forma. "Coragem e fé em Deus! O que fizeram minha inspiração voltar. Tantos desafios que a sombra do pessimismo apareceu, mas não teve vez, pois a vontade de Deus prevaleceu! Eis que em Dezembro deste mesmo ano, A Creche Nova Geração desponta!" - destaca Márcia.

Cerca de 20 crianças hoje dividem seu dia a dia no espaço, gastam e renovam suas energias com atividades de psicomotricidade, contação de história, desenhos animados, atividades físicas, atividades com músicas, valorização da cultura local envolvendo atividades em respeito à natureza, entre outras ações. A creche conta com quatro funcionárias com dedicações exclusivas para realização das mesmas.

As datas comemorativas, tanto de aniversário quanto às do calendário, são reproduzidas em forma de festa e alegria, como foi comemorado o primeiro dia das crianças na Creche Nova Geração. Válido registrar o quanto é visível a interação entre as crianças, como também, a interação com os funcionários. Nota-se respeito às individualidades, carinho, atenção e paciência, onde a aprendizagem é recíproca e não apenas se transmite conhecimento e valores, mas sim a produção e construção dos mesmos.

Nesse dia, as crianças foram os autores. Entre as atividades planejadas, destaca-se a confecção da massa de modelar, onde cada ingrediente foi explicado pela professora Quésia Rosa (psicomotricidade), incluindo os nomes das cores escolhidas pelos alunos. Nessa atividade, consideram-se, também, a importância do trabalho em grupo, o respeito aos colegas e suas escolhas, dando ênfase a oportunidade da criação, valorizando a capacidade de cada aluno, assim como, do seu desenvolvimento.

A Creche Nova Geração é nova em tudo, no bairro é ideia pioneira, para os pais e responsáveis é uma grande conquista ter num lugar só o que eles desejavam. Poder deixar bebês tão pequeninos, frágeis e dependentes onde o amor e a dedicação sejam os mentores do trabalho, onde a atenção é visivelmente redobrada e a preocupação por cada criança se faz presente nas intenções e atitudes dos funcionários, é primordial e necessário.

Para a mãe Aline Gonçalves, que, praticamente, inaugurou a creche com o seu pequeno Gael, o pãozinho como carinhosamente é chamado (na época com quatro meses), ficar tranquila no trabalho enquanto o filho é bem tratado, é tudo que uma mãe deseja: "É uma satisfação quando vejo o sorriso dele ao ficar na creche, o choro do início não existe mais, e nem liga mais pra mim quando o deixo, agradeço a compreensão e paciência, muito bom ter vocês em nossas vidas" - destaca Aline.

Gratidão é a palavra que define as opiniões das mamães Carla, Celma, Quicielen, Camile, Joyce e Elizângela. Os depoimentos sobre a creche são, de forma unânime, sobre amor, carinho, dedicação, paciência e, principalmente, a tranquilidade de poder deixar os seus filhos num lugar como a Nova Geração. Não houve discordância quanto ao valor que a creche representa em tão pouco tempo de existência, destacam-se algumas frases entre os depoimentos dos responsáveis: "Importante para o bairro e para todas as mães", "Não tenho mais preocupação", "Vemos o amor e carinho no sorriso dos nossos filhos, assim sabemos que estão sendo bem tratados", "Tudo que ensinam, as crianças reproduzem, e o que reproduzem reflete o amor". Assim foi retratada a Nova Geração de acordo com o olhar dos que sabem o que é melhor para os filhos.

Como Paulo Freire registrou "A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da beleza e da alegria", a Creche Nova Geração está no caminho certo, tudo isso refletido no pensamento de Maria Luiza Braga, 5 anos.

- Não tem creche hoje? Mas, como não? Tia Márcia vai vir me buscar, sim. Eu canto e dou risada também. Olha, sabia que têm livros que parecem que entramos nele? Chama a gente mesmo! Acho que moro nos livros também! Ah, a voz da tia é de amor, mesmo quando eu choro! Tudo é muito colorido como o meu aniversário. Será que fazemos aniversário todos os dias? Na creche parece aniversário, mãe, muita criança e alegria. É isso, acho que a creche é igual ao livro, dá uma vontade de morar lá dentro - registra a pequena Maria.

Para a professora Márcia, tudo isso é um incentivo primordial para a continuação do seu trabalho que tem a pretensão de crescer cada vez mais com o objetivo de oferecer o melhor para a comunidade.


- É muito gratificante saber que estou no caminho certo e que todo trabalho e dedicação são reconhecidos, isso me faz acreditar que vale a pena continuar com o meu trabalho. Quero deixar, também, registrada a importância da presença do meu companheiro de vida Rômulo de Medeiros, na realização desse sonho. Com ele, além do auxílio no dia a dia na creche, ainda fornecemos o transporte para nossos pequenos. Minha palavra também é Gratidão! - Finaliza Márcia.

A Creche Nova geração fica na Estada Virgem Santa, 14, Virgem Santa, Macaé-RJ
Telefone: (22) 99901 1751

Página no facebook : https://www.facebook.com/creche.novageracao/

Jornalista Mônica Braga